Alcoolismo Tratamento, sinais, sintomas e causas


Nem sempre é fácil perceber quando o consumo do álcool cruzou a linha de uso moderado e social para um uso nocivo ou dependência alcoólica.
Se uma pessoa passa a consumir álcool para lidar com as dificuldades ou para evitar sentir-se mal, este encontra-se em território de potencial perigo para o alcoolismo.

O alcoolismo ou abuso do álcool ocorrem devido a vários fatores interligados,
incluindo a genética, a maneira com que o dependente foi criado, o seu meio social,
e sua saúde mental.

Pessoas que têm uma história familiar ou que possuem estreita relação com pessoas
que fazem o consumo pesado de bebidas alcoólicas, são mais propensas a desenvolver
problemas de alcoolismo. Finalmente, aqueles que sofrem de problemas,
tais como ansiedade, depressão, doença bipolar também estão particularmente em risco,
pois o álcool pode ser usado como automedicação.

A diferença entre uso frequente do álcool e alcoolismo é que os “alcoólatras“,
podemos assim dizer, não têm mais capacidade de definir seus limites para o consumo.
Seu uso é autodestrutivo e perigoso para si e para outras pessoas que vivem a sua volta.

O alcoolismo envolve todos os sintomas de abuso de álcool, mas também envolve outro
forte elemento: a dependência física do álcool.
Se a pessoa torna-se dependente de álcool para “funcionar” ou se sente fisicamente
obrigado a beber, é bem possível que ela tenha se tornado alcoólatra.

A crescente tolerância ao álcool pode ser o primeiro grande sinal de alerta de alcoolismo,
além de outros indícios:

Beber muito mais do que antes para ficar tonto ou sentir-se relaxado;
Beber mais que as outras pessoas sem ficar bêbado;
Tolerância significa que, ao longo do tempo, o indivíduo precisa de mais
            e mais álcool para sentir os mesmos efeitos.

Outro sinal de alerta importante do alcoolismo é quando a pessoa percebe que precisa beber para aliviar os efeitos da ansiedade e da agitação.
Beber para aliviar ou evitar os sintomas de abstinência é também um sinal de alcoolismo e uma enorme bandeira vermelha.
Quando se bebe muito, o corpo se acostuma com o álcool e apresenta sintomas de abstinência quando lhe falta.

Tratamento do alcoolismo


Na Caminho da Vida executamos reuniões sobre o alcoolismo e seus mecanismos .
É importante dizer que para que tudo corra corretamente, é preciso confiar no tratamento de reabilitação e nos cuidados médicos que o dependente passa a receber.

Realizamos o tratamento do alcoolismo de forma humanitária com foco na recuperação do “alcoólatra”, buscando entender a fundo as causas que contribuíram para a doença.

O foco é ajudar o paciente com dependência a enfrentar o problema pensando em seu amadurecimento e devolvê-lo sua dignidade, com reeducação e ressocialização.

Diante desse panorama e com a aceitação do paciente, prosseguimos com a internação para a reabilitação da dependência alcoólica seguindo os procedimentos:

Procuramos esclarecer inicialmente, no que chamamos de Reunião dos Novos,
           a dinâmica do tratamento e do procedimento psicoterapêutico a que o paciente
           será submetido.

Após esclarecimentos, o paciente será encaminhado a um dos Grupos Operativos
           e durante o período em que convivermos juntos, propiciaremos um “viver aprendendo”,
           buscando o amadurecimento emocional através de um conjunto de atividades como
           forma terapêutica.

Nos preocupamos para que as atividades não se tornem apenas mera ocupação de tempo, mas sim aprendizados em todo o seu sentido.

Causas, sinais e sintomas do alcoolismo


Conheça alguns sintomas que indicam alcoolismo:

Nervosismo e ansiedade
Tremores
Sudorese
Náuseas e vômitos
Insônia
Depressão
Irritabilidade
Fadiga
Perda de apetite
Dor de cabeça

Em casos mais graves, a falta de álcool no organismo pode também envolver alucinações, confusão, convulsões, febre e agitação. Estes sintomas podem ser perigosos, por isso é extremamente necessário que se procure ajuda para o tratamento do alcoolismo.

Na Caminho da Vida estamos altamente preparados para atender seus amigos, familiares ou até a você mesmo.

Venha conhecer a nossa clínica!

O alcoolismo pode afetar todos os aspectos da vida do dependente.
O consumo de álcool a longo prazo pode causar sérias complicações de saúde,
afetando praticamente todos os órgãos do corpo, incluindo o cérebro.

Problemas com a bebida podem prejudicar a estabilidade emocional, financeira, profissional e a capacidade de construir e manter relacionamentos duradouros.
O problema de alcoolismo pode, também, causar impacto sobre a família, amigos e ambiente profissional..

Ainda podemos destacar outros sintomas da dependência do álcool:

Perda do controle sobre o consumo – Beber mais do que gostaria e por mais tempo que            pretendia;
Esforço malsucedido de parar de beber – Há um desejo persistente de reduzir ou             interromper o uso do álcool, mas os esforços são em vão;
Desistência de atividades de lazer e entretenimento por causa do álcool –
            Redução do tempo em atividades que costumavam ser importantes, como
            sair com a família e amigos ou praticar esporte, para que haja mais tempo ao
            consumo de bebidas alcoólicas;
Foco no álcool – Boa parte do tempo gasto bebendo, pensando na próxima bebida,
            ou se recuperando de ressacas. Há pouco ou nenhum interesse em atividades sociais
            que não incluem bebidas alcoólicas.
Continua a beber mesmo ciente que causa problemas – Consumo contínuo do álcool
            mesmo ao reconhecer que prejudica o casamento.

Veja 4 sinais contundentes de abuso de álcool:


1- 'Eu posso parar de beber quando eu quiser'
            Mesmo que aparentemente verdade, trata-se de uma desculpa para seguir bebendo a
            verdade é que a pessoa não quer parar de beber. Dizer que pode parar faz o alcoolista
            sentir-se no controle apesar de todas as evidências apontarem o contrário, e
            não importa o dano que tem causado.

2- 'Minha bebida é problema meu' ou 'Eu sou único afetado e ninguém tem o direito             de me fazer parar''
            É verdade que a decisão de parar é da pessoa, mas ela está enganando a si mesmo se
            acha que o consumo abusivo do álcool não fere mais ninguém.
            O alcoolismo afeta todos ao redor, especialmente as pessoas mais próximas.

3- 'Eu não bebo todos os dias, por isso não posso ser um alcoolista' ou 'Eu só bebo             cerveja ou vinho, por isso não posso ser um alcoólatra'
            A pessoa não precisa beber todos o dias, ou apenas bebidas consideradas mais fortes
            para ser alcoólatra.
            Muitos alcoólatras são capazes de manter seus empregos, sustentar suas famílias e ir à             escola.

4- 'Beber não é um vício ‘real’, como abuso de drogas'
            O álcool é uma droga e o alcoolismo é tão prejudicial quanto a dependência de drogas.
            Dependência de álcool provoca alterações no corpo e no cérebro, e o abuso a longo
            prazo pode ter efeitos devastadores sobre a saúde, carreira e relacionamentos.
            Alcoólatras entram em abstinência física quando param de beber, assim como usuários
            de drogas quando parar de usar.

Alcoolistassão mais propensos a pedir divórcio, se envolver em violência doméstica, perder o emprego e deteriorar sua condição financeira.

Algumas dicas do que NÃO fazer em casos de alcoólatras na família ou conhecido:

Não tente punir, ameaçar, subornar ou pregar crenças religiosas;
Evite apelos emocionais que favorecem aumentar os sentimentos de culpa e a             compulsão para beber e usar outras drogas;
Não cubra ou dê desculpas para o problema ao proteger o alcoolista das consequências             de seu comportamento;
Não assuma as responsabilidades do alcoólatra;;
Não oculte ou descarte garrafas, jogue fora cartelas de medicamentos, ou o proteja de
            situações onde a bebida ou os efeitos dela sejam visíveis;
Não discuta com a pessoa quando são prejudicados;
Não tente acompanhar a bebedeira de um alcoólatra na esperança de compreendê-lo
             e ajudá-lo a abandonar o vício;
Acima de tudo, não se sinta culpado ou responsável pelo comportamento do alcoolista.

Lembre-se que há tratamento contra a dependência alcoólica. A reabilitação do alcoolismo é um processo contínuo que requer tempo e paciência.

Não há pílulas milagrosas, e os problemas que o conduziram à condição de abuso do álcool precisarão ser enfrentados.